Piracicaba, 21 de Novembro de 2018

Notícias

TRÊS ESTILOS, NOVE BANHEIROS

Não basta comprar pastilhas coloridas para o box e uma daquelas cubas modernas de apoio? Não, não basta. Se você está prestes a reformar um banheiro ou lavabo, pare, pense e defina um conceito — resista ao impulso de comprar o revestimento mais barato ou diferentão que piscar para você na loja de materiais de construção. Mesmo que a verba disponível não seja lá aquelas coisas, essa definição de um tema vai te ajudar a encontrar as melhores ofertas para necessidades especificas. Afinal, já que é para reformar, nada de montar um ambiente genérico, que não diz nada a ninguém.

PINCELADAS COLORIDAS

Às vezes um pouco de cor é melhor do que um monte de cor. Mas não é questão de medo ou falta de criatividade, é questão de praticidade. Explico: um banheiro todo colorido, com marcenaria e azulejos azuis, por exemplo, corre alto risco de ficar cansativo num piscar de olhos. E aí, para mudar, dá-lhe quebra quebra de novo. Já um banheiro todo branquinho, com piso fácil de limpar e azulejos neutros, permite um leque gigante de possibilidades coloridas. De repente é um gaveteiro laranja, um banquinho roxo ou ganchos para toalhas em degradê… o que importa é que o tom pode variar conforme o seu gosto e que poucas intervenções já deixam o espaço com cara de novo.

COM DIREITO A PAISAGEM

Essa sugestão vale mais para quem mora em casa, onde existe uma possibilidade maior de criar um jardim de inverno. Se bem que o arquiteto Guto Requena já provou que é possível ter um banheiro com vista para o horizonte num apartamento — ele se apropriou de alguns metrinhos da varanda e estendeu o cômodo, deixando o box quase do lado de fora. Tá, isso talvez seja muito radical pra você, mas de repente essa ideia de ter plantas e natureza por perto na hora do banho te empolga. Então se a reforma for grande, pelo menos considere a opção de fazer um pequeno jardim anexo, ou mesmo um jardim vertical.

VINTAGE, OU QUASE

Ter um banheiro vintage pode ser bem mais fácil do que se imagina. As maiores marcas de louças e acessórios para banho ainda possuem linhas de peças com um desenho antiguinho, como aquelas cubas largas de coluna, torneiras com detalhes de porcelana e registros mais elaborados. E se as louças estão resolvidas, é bom pensar em um revestimento que case com o estilo. Azulejinhos brancos ou pastilhas de porcelana (não de vidro!) podem ser usados em meia parede, deixando um trecho livre até o teto — e nesse pedaço é bom aplicar tinta epóxi, ideal para ambientes úmidos. Os arquitetos da Ouriço Arquitetura fizeram uma composição de revestimentos com perfeição (veja nas 2 primeiras fotos abaixo). E ainda foram além: instalaram luminárias industriais, espelho retrô e um daqueles armários de farmácia, de madeira e vidro. Eu amei e agora quero um assim!

Fonte: http://colunas.revistaglamour.globo.com/referans/2013/09/11/tres-estilos-nove-banheiros/?fb_action_ids=10200627009381498&fb_action_types=og.likes

Voltar